segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

112) Quebrantamento do Espírito







 E, estando ele em Betânia, assentado à mesa, em casa de Simão, o leproso, veio uma mulher, que trazia um vaso de alabastro, com ungüento de nardo puro, de muito preço, e quebrando o vaso, lho derramou sobre a cabeça. Marcos 14:3

Quando a patrola de Deus (trator) atropela as nossas vidas aprendemos a depender de Deus.
As adversidades são os momentos que Deus nos forja e nos constrói  para uso Seu.
Ser  dependente de Deus é ser quebrantado do espírito .
Um espírito quebrantado é humilde, compassivo e perseverante, pois  aprendeu dentro de uma estrutura não ser melhor que ninguém, mas agradável no poder do Espírito Santo.
O quebrantamento leva o indivíduo  que busca a ser cheio do espírito, e ser cheio do espirito é transbordar numa dimensão  de quebrantamento, onde as humilhações, as adversidades, os poréns do dia a dia, faz dele um ser totalmente dependente de Deus, e sua vida quebrantada, não agrada a si mesmo, mas aquele pela qual ele luta e sobrevivi num mundo onde as trevas tomam conta.
Ser não é maior do que ter, e ter não é possuir  tudo como se fossem seus, mas abrir  mão do seu  ser para que outros possam ter.
Essa é a essência de quem é quebrantado, de quem depende de Deus, tudo é seu, mas nada lhe pertence, o maior tem que ser o menor,  não possuindo nada. Mas tendo tudo é de outrem, porque no quebrantamento do espírito, ser quebrado é ser doado.
Só assim quando somos doados pelo amor do reino de Deus, tocamos outros corações com amor quebrantado, não orgulhoso, mas humilde para que a Glória  de Cristo se manifeste no poder do coração quebrantado do espírito.
A Glória de Cristo  manifestada traz vida traz  esperança  num mundo onde tudo diz não dá.
A Glória de Cristo traz a vitória  num mundo onde a crise diz...Não consigo.
A Glória de Cristo de um coração quebrantado para quem quer viver uma vida com Cristo.

@Agenivaldo Almeida Silva


Patrola


111) Caminhante Errante







O CAMINHANTE ERRANTE
Por: Agenivaldo Almeida Silva



Oi, por onde andas? Por que caminhas tristes nestes teus ais?
Que fazes de tua vida a vagar errante sem parar? Que buscas caminhantes desta vida voraz?
Por que choras, e não sorri jamais.
Percorres por caminhos incertos, sem vida, nesta vida voraz.
Não tens sonhos, nem esperança nestes dias vazios e nas noites frias caminhando sem rumo, sem solução passando por todos neste mundo vão.
Não chores, não fiquem tristes caminhantes desta vida, há esperança, há solução.
O sol nasce num lindo amanhecer trazendo esperança de um dia ser melhor. De uma nova vida sem tristeza e nem dor, uma vida cheia de amor.
Abra um sorriso, alegre-se com esta nova vida.
E descubra nos braços de Jesus o amor de Deus que tanto te amou.
Pare, pense e vivas uma nova vida cheia de felicidades e com grande amor.
Deixe de ser caminhante, nesta vida errante e descubra a felicidade de um novo ser, um ser sonhador que agora vives, nas asas dos ventos, mas debaixo de um grande amor. Jesus



domingo, 29 de abril de 2018

110 - Pensando com meus botões




Às vezes a gente fica pensando na vida e de como ela passa rápido demais. Vemos todos os dias crimes bárbaros e tantas desigualdades sem tamanho. Vemos uma situação em que a corrupção se alastra como fogo sem ter  poder apagar estas chamas.
Em cada situação enxergamos que as pessoas querem mudanças. Mas muitos preferem ainda viver de maneira que possam satisfazer seus próprios egos.
No anseio da uma sociedade mais justa, mais amena existem aqueles que preferem viver com a corrupção a viver no lado certo da vida. Embora a porta seja estreita para muitos, mas para alguns preferem caminhar em passos largos na estrada larga da vida.
Vemos que o lado escuro da corrupção tenta de todos os meios ganharem espaço com suas mentiras mais esfarrapadas enganando  os  mais simples e com isso parece que a verdade esta longe de chegar onde deveria chegar.
Desde os tempos de Jesus já se faziam isso preferiram uma ladrão e crucificaram um inocente. Hoje não muito diferente o povo prefere um ladrão tipo Robim Wood que ajudou os pobres e necessitados, só porque deu um pouco de alimento, tornando como um bom amigo, mas esquecem de que este mesmo roubaram milhares de  oportunidade de vidas, enquanto saqueava os cofres públicos e  destruíam  a esperança de milhares de pessoas nos leitos de hospitais, e em  muitos lugares  diferentes.
De fato a vida parece ingrata algumas vezes, mas em meio a tantas calamidades descobrimos que existe uma porta que nos traz a esperança. Jesus Cristo é o caminho para a vida e somente Ele nos trará a  paz que precisamos para vivermos em novidade de vida.
Enquanto o mundo jaz não mão do maligno e nas corrupções da vida, vemos aqueles que abraçam a esperança de dias melhores e esta é uma única oportunidade, viver em paz com sigo mesmo e com Deus...Jesus é o caminho e nada mais.

Agenivaldo Almeida Silva

domingo, 23 de abril de 2017

108) - Falando de Amor



Para falar de amor,

Eu preciso sentir o que é amar.
Para falar de paz,
Eu tenho que ter a paz.
Para falar de felicidades,
Eu preciso ser feliz.
Eu preciso chorar com que chora,
Preciso cantar com que se alegra.
Para falar do amor.
Eu preciso ter o amor.
Quando tenho amor,
Eu canto com quem canta,
Eu choro com quem chora,
Eu amo mesmo não sendo amado.
Quando eu expresso o amor,
Nas minhas maneiras de ser,
Eu preciso com minhas atitudes,
Amar mesmo não sendo amado.
Mesmo sem o sorriso nos lábios,
Mesmo que chorando ou às vezes até sorrindo.
Tudo pode acabar um dia,
Mas a fé permanece agora e também a esperança,
Mas o amor, destes três; o maior destes é o amor.
Tudo pode passar um dia.
Mas o amor permanece para sempre.

@Agenivaldo Almeida Silva

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

107) - Duas Bocas




Duas bocas diferentes
Que parecem iguais
Mas na verdade são,
Duas bocas querendo mais
São duas bocas diferentes,
Mas desejando ardentemente
Serem  iguais
Uma beijando a outra,
Sentindo serem iguais
Duas bocas se beijando,
Se amando e querendo mais,
Beijos doces... Beijos ardentes,
Beijo de carinho, beijo de amor.
Beijos de desejos, beijos de segredos,
Duas bocas cada vez mais,
Querendo sempre mais.
Beijos loucos e desvairados,
Silenciosos  e demorados,
Mordidas nos lábios,
Com carinho faz o beijo devagarinho,
Com ternura o beijo da loucura,
De duas bocas que se beliscam,
Se amando nestas  loucuras
Beijos de  duas bocas,
Que se querem e se desejam
Que se mordem e se querem,
Duas bocas diferentes
Que parecem iguais
Mas na verdade são,
Duas bocas querendo sempre mais.

Fim







106) - TEMPO




TEMPO...
Um  tempo...Dois tempos
O tempo passa, a vida passa,
Mas se passa não volta,
Quando o tempo passa a idade avança,
E as lembranças não passam,
Só se apaga, quando o tempo passa.
Mas não se apaga jamais,
As lembranças que ficam para traz,
O tempo passa rápido demais
Dentro do tempo às vezes não se esquece,
Outras vezes não lembram - se   jamais.
A vida passa rápido demais,
As lembranças ruins deveriam ficar para traz,
Lembranças que são boas,
Não se devem esquecer jamais.
As lembranças, elas passam.
As marcas que ficaram,
As feridas que as vidas porventura marcaram,
Suas marcas deixaram cicatrizes,
Mas o tempo cura as feridas,
E apaga até as marcas que ficaram.
Arranca a tristeza e até as cicatrizes
Que as vidas porventura marcaram.
Ontem foi passado.
Hoje um novo dia.
Esperança de um tempo melhor,
Um momento presente,
Um futuro de um novo dia.
Que a vida nos traz,
Para começar mais um dia.



quinta-feira, 11 de agosto de 2016

105) - Como o Brilho dos Pequenos Diamantes




  

O pequeno brilho dos diamantes,
São aqueles  pequenos momentos  inexplicáveis,
Que às vezes simples como os pequenos brilhos dos diamantes,
Tão raro tão loucamente lindo sem ser evitado,
Um pequeno gesto no jeito de olhar,
Uma lembrança sem mesmo pensar,
O carinho que expressa no brilho do olhar,
É como o brilho do pequeno diamante,
Que mesmo não querendo pode-se notar.
A saudade do momento tão querido,
Tão pequeno e tão grande,  que mesmo no infinito
É um pedaço da gente que não sai da mente,
Que nunca esquece o pequeno brilho deste diamante
Os passos dos momentos insanos, às vezes tristes, às vezes comoventes.
Um abraço louco desvairado do amor  que perpetua na face de outrora
Que mesmo as pequenas lágrimas que teimosa na face que desliza,
Sem saber, sem entender esta fonte do coração que jorra.
Um andar pelas ruas, com pensamentos dilacerados pelo tempo.
Nos gestos tão pequenos, assim como  das lembranças tuas.
No entardecer de mais   um dia,
Somente a saudade que no peito ardia
Das lembranças  dos momento de carinhos,
Dos gestos de amor, que em seus olhos  a cada instante se via.
Doces  palavras , sentimentos de carinhos,
Amor na expressão de amor são  como o brilho,
Dos  pequenos  diamantes, na arte de amar.
Na forma de amor, com gestos, maneiras, palavras,
De quem ama, e  deseja doar amor.
O amor que sente amor que entende,
O amor que chora deste coração tomado
Cheio  de alegria,  da ternura, da brandura
De ser radiante, assim como o brilho dos pequenos diamantes.

11 de Agosto de 2016
@Agenivaldo Almeida Silva

 Deixe seu comentário no final da página